O caso e os fatos

O caso?
Eu cheia de dor se espalhando, filho com febre e tosse, então em dupla vamos ao PS.
Ele avaliado, medicado, bundão com injeção, inalação, pronto!
Agora é minha vez, pressão nas alturas, diabete idem.
Eletrocardiograma, nada consta, vamos lá de voltaren e decadron, mais um bundão dolorido,
tudo certo até que a idiota aqui esquece da muleta, do apoio e tibummmmmmmmmmmmm.
Despenquei em cima da pia do local de medicação.
O fato?
Dedo mindinho da mão direita quebrado, virado para fora, a dor mudou de lugar.
Ai.... vem todo o PS olhar para a gordinha, que esta com o downzinho.
Já chamamos atenção sem cair de bunda quase de fora, eu disse QUASE.
Felizmente, o bom humor é uma arma, e a dr. Elisabete, que sabe que sou artesã e que 
também é peso-pesado, fez uma piadinha e com toda calma e sorriso capaz de aparecer numa situação tão ridícula como essa, me deu uma força, me acalma da vergonha e
me fala que tudo bem, eu precisava de repouso longe da agulhas.
Resumindo:
depois de esticarem o mindinho para o lugar, colocaram um ferrinho segurando, gesso e
14 dias parada.
Vocês acham que acabou ai??? 
Acabou nada, já fiz uma gambiarra e estou crochetando, pouco e devagar.
E, escrevendo com uma mão, bicando as letras.
Estamos bem! Desmanchando-nos em espirros e febre, mas bem.
Segue foto da gambiarra da agulha.

5 comentários:

  1. Kika,
    Agora entendi o motivo do gesso. Vamos rir de nos mesmo e pronto. Quando não tem outro jeito. A minha quebradura é bem menor que a sua, incomoda menos e é menos traumatica. Já é a teceira vez que arrumo um dente meu quebradinho, bem na fente. O pedaço quebrado é minimo, mas ontem arrumei de novo, ficou lindo, e hoje esqueci, mordi maçã fugi durinha com ele e pronto, tá feito o estrago... Deu tristeza, que não se compara à sua dor, mas tudo se arranja, temos que ter paciencia, perseverança e rir, rir muito pra não chorar ... Força amiga!!!!! Bjs, para o Leon!

    Ana Maria

    ResponderExcluir
  2. Tudo na vida tem um lado bom. Pensa, vc já estava no PS!!!

    Se cuida mulher.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Kika,
    Eu tenho um amigo que trabalhava comigo no banco, o Aderbal, que tinha dois filhos com problemas de origem genetica por parte da mãe. Tinham atraso mental, mas falavam, eram um pouco melhores que o meu Rica. Um deles morreu bestamente de uma bolada num jogo de volei, na arquibancada de um clube, o mais chique e tradicional da cidade, do qual nunca fiz parte, pois sou da ala dos pobres.... E o rapaz, Leandro, foi levado ao médico reclamando de muitas dores e o médico dizia que não era nada , que ia passar. No dia seguinte ele estava morto, com hemorragia interna.
    Mas o Aderbal me dizia o seguinte: todo pai ou mãe de filho deficiente torna-se um deficiente também.
    Hoje eu concordo com ele, porque o nosso centro acaba sendo eles. E isso nos desequilibra de alguma forma. Eu com minhas dores, que preciso tomar antidepressivo e relaxante muscular pra aguentar as fisgadas que começam no antebraço esquerdo e se não cuidar vão para as costas, a nuca, fazem um estrago.... E você com sua muleta.... DE alguma forma eles vieram para nos fazer mais lentos nessa caminhada, ou pra nos auxiliar, preencher nosso tempo nessa nossa lentidão do momento. Mistérios do destino. Mas que ficamos meio lesas, ficamos rsrsrsrs....

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Que coisa... Uma levou a outra. Parece alguém que eu conheço desde pequena: Apesar de tudo, sempre acha o lado positivo e ativo da situação.
    Melhoras prá ti e pro teu filhote...

    Bom início de primavera.

    ResponderExcluir
  5. Oi Kika!
    Admiro o seu alto astral. Vc é linda. Descreve os detalhes desse incidente com uma pitada de humor. Nunca passei por isso mas imagino a dor de ter um dedo virado. Toma cuidado com ele amiga. Espero que o filhote esteja muito bem e vc também.
    Bjs e bom final de semana

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e espero que tenha gostado, farei o possível para melhorar, volte sempre que desejar.